Manual do Trem

Cinco ‘itens’ indispensáveis para curtir o Trem do Forró

Confira essas dicas para o seu São João sobre os trilhos ser inesquecível

por Paula Brasileiro

Em 2018, o Trem do Forró completa 28 anos celebrando cerca de mil horas de muito arrastapé durante as 200 viagens completadas neste período. Tendo virado já uma das tradições do São João Pernambucano, o Trem arrasta pessoas de todos os lugares do Brasil, e até do mundo, em uma viagem cheia de cultura popular e muita animação. Neste sábado (9), foi realizada a viagem inaugural da temporada 2018 e, para quem ainda quer aproveitar o forró nos trilhos, a gente preparou uma lista de itens indispensáveis para se jogar nesta diversão. Confira. 

1 - Reunir a galera

É comum encontrar vários grupos de amigos, ou até mesmo famílias inteiras, reunidos para viajar no Trem do Forró. Basta juntar toda a galera, e os familiares, formar o ‘bonde’ e escolher o seu vagão. Brincar em grupo é mais divertido, como garante Tatiana Cesário. A auxiliar administrativa já brinca o Trem há quatro anos com as mesmas pessoas: “A afinidade com o pessoal deixa a coisa mais gostosa e harmoniosa. Por isso que todo ano a gente tenta aumentar o nosso grupo”. Em 2018, a ‘galera’ de Tatiana embarcou com sete pessoas. Basta juntar os amigos, e os familiares, formar o ‘bonde’ e escolher o seu vagão.

2 - Botar o ‘isonor’ para jogo

A viagem que vai do Recife ao Cabo de Santo Agostinho tem 84 km, ida e volta, e demora por volta de cinco horas, no total. Para não acabar desidratado, nem morto de fome, o ideal é preparar aquele isopor com bebidas e lanchinhos, para acompanhar o trajeto. Em cada vagão, existe um serviço de venda de aperitivos e bebida, mas é liberado levar seus próprios quitutes e bebidas, assim, deixar a festa completa. Só não são permitidos vasilhames e garrafas de vidro, por questões de segurança. É preciso, também, prestar atenção ao tamanho do isopor, para não atrapalhar o espaço nos vagões. 

3 - Gostar de forró pé de serra

O Trem do Forró é composto por 10 vagões e, em cada um deles, um trio de forró toca os ritmos tradicionais da época junina durante toda a viagem. Xote, baião e aquele forrózinho pé de serra são os estilos que embalam os viajantes sobre os trilhos. Para quem gosta ou quer conhecer um pouco mais dessas tradições populares é a melhor pedida. 

4 - Caprichar no equilíbrio

A ideia do Trem é que o pessoal dance muito forró na ida e na volta da viagem. Mas, para isso, é preciso caprichar no equilíbrio para não cair e acabar se machucando. Também é permitido transitar entre os vagões, o que pode exigir um pouco mais de equilíbrio. Mas, nada que seja tão preocupante até porque há aqueles que dizem que o balançado dos trilhos até ajuda na hora do ‘rala bucho’. 

5 - Preparar o fôlego

Além das várias horas de forró durante os mais de 80 km de viagem, a animação da dança e do vai e vem nos vagões pode ser exaustiva. Para não ficar no meio da viagem, vale a pena descansar bem antes do embarque, além de alimentar-se de forma saudável e beber bastante água. Com as energias preparadas é mais fácil curtir tudo o que o passeio tem para oferecer. 
 

Comentários