Caruaru decide se músicas machistas podem render multa no São João

Pedido foi apresentado pelo presidente da Câmara da cidade, vereador Lula Tôrres (PSDB) e inclui 'músicas, danças ou coreografias que incentivem a violência contra as mulheres, homofobia, discriminação racial ou apologia ao uso de drogas'

por Felipe Mendes

Presidente da Câmara dos Vereadores de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, Lula Tôrres (PSDB) apresentou um requerimento solicitando que os artistas contratados para a festa de São João da cidade “não executem músicas, danças ou coreografias que incentivem a violência contra as mulheres, homofobia, discriminação racial ou apologia ao uso de drogas ilícitas”.
O pedido do tucano para a prefeita Raquel Lyra (PSDB) deve ser votado nesta quinta-feira (10) pela Casa. A solicitação prevê multa para os artistas que descumprirem a decisão.
De acordo com Lula Tôrres, a medida é necessária para que o São João de Caruaru não seja palco para músicas que desvalorizem a mulher e propaguem discriminação contra negros e a população LGBT.
“Os tempos estão mudando. Não podemos admitir que tais canções reproduzam machismo, homofobia, misoginia ou racismo no São João de Caruaru, que é uma festa tão bela, tão rica em cultura e que recebe milhares de pessoas nos dias de shows”, declarou o parlamentar.
Por Giselly Santos

Comentários